terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Sorria!

"Sorri"

Sorri
Quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios
Sorri
Quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorri
Quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doridos
Sorri
Vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz





segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fale!

Se tem uma coisa que me agrada muito, é ler um texto e identificar-me assim "de cara" com ele!
Assim, leio e penso: Pronto, é isso que eu penso e queria dizer!
É isso que mais gosto nas palavras, que mais admiro em quem escreve: O poder de verbalizar o que sentimos.
 Acabei de ler um desses!
E, claro, quero dividir com você que está lendo.
Eis o texto:

"Case-se com alguém que você goste de conversar."

Case-se com alguém que gosta de conversar
Por que quando o tempo for seu inimigo,
E as linhas de expressão dominarem sua face
E se a vitalidade não for como você gostaria
Tudo que restará será bons momentos de conversa
Com alguém que viveu com você muitas histórias
Que segurou a sua mãos inúmeras vezes
Que lhe abraçou quando sabia que precisava
E que lhe falou a palavra no tempo certo.
Vai se lembrar ao longo da vida
De momentos felizes, engraçados, apaixonados
E vocês ainda vão rir muito juntos.
Então lembre-se que a beleza passa, pois é vã
Mas o carinho , o respeito, o conhecimento
Este aumenta a cada dia.
Então case-se com alguém...
 Com quem realmente gosta de conversar.

(Não sei quem é o autor, mas o texto é bom rs)

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Desejos

O poema que mais gosto de ler, escrever, ouvir, dedicar...

Desejos 
(Carlos Drummond de Andrade)

Desejo a você
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não Ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.




terça-feira, 9 de outubro de 2012

Uma parte de mim

Um dia, um professor me mostrou esse texto, e instantaneamente me identifiquei...
Hoje, anos depois, uma amiga postou uma citação dele no facebook e me fez lembrar daquela época.
Acredito que você também irá identificar-se em algum momento da sua vida!

Segue o texto:

Traduzir-se
(Ferreira Gullar)

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.


Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.


Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.


Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.


Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.


Traduzir-se uma parte
na outra parte
-que é uma questão
de vida ou morte-
será arte?


terça-feira, 20 de março de 2012

Como é que se diz: "Eu te amo"?

Sim, mas é claro que eu falaria sobre o amor. Como todo mundo, as vezes pergunto-me sobre como é o amor.
Não sei como é o meu, pois ainda não tive e, pra ser bem sincera, não sei se terei. Se vivenciar isso, prometo que contarei... rs
Mas, enquanto não tenho, imagino como será. Pois sei como quero que seja. Conhecendo o jeito que sou, imagino como será , no mínimo, cômico. Nunca fui do tipo 'chiclete'. Nem mesmo com minhas amigas. Nem mesmo com a pessoa que mais amo no mundo: Minha Mãe. Não sou do tipo que anda pra todo canto de braços dados com fulano de tal. Não sou do tipo de ligar a cada 5 minutos pra contar o que fiz. Não gosto de receber sms de madrugada.

 Isso é desvantagem para você que está lendo? Talvez. Depende do seu gosto.
Para mim, não é nem um pouco. Aliás, acredito que essa seja uma das minhas maiores qualidades.
Mas, calma lá. Não me entenda mal. Não sou fria e calculista haha
Só que eu não espero o mesmo que a maioria das pessoas aí fora. Não espero uma paixão avassaladora. Não quero um 'amor de filme'.
Sabe o que eu quero de verdade?
Eu quero amor. Só isso basta.
Amor contínuo. Aquele no verbo gerúndio.
O de todo dia. Toda manhã. Todo tempo.
Aquele de acordar ao seu lado e sorrir.
Aquele que, mesmo sem fazer nada, ainda é a companhia mais agradável do mundo.
Aquele que, mesmo em silencio, é o mais consolador.
Juro que não quero mais do que isso.
Amor é vida.
Amar é simplesmente viver.
E tudo que eu quero é viver em paz...



"Eu preciso e quero ter carinho, liberdade e respeito
Chega de opressão
Quero viver a minha vida em paz
Quero um milhão de amigos
Quero irmãos e irmãs
Deve de ser cisma minha
Mas a única maneira ainda
De imaginar a minha vida
É vê-la como um musical dos anos trinta
E no meio de uma depressão
Te ver e ter beleza e fantasia"

domingo, 18 de março de 2012

Era uma vez...

Perdão. Ainda não fomos apresentados...
 Pois bem, eu sou Érica Tabita. 21 anos. Pedrabranquense, Cearense, Nordestina, Flamenguista, Fortalezense haha, Cabeleireira nas horas vagas, apaixonada por Música, Cinema, Literatura e Animais ♥ 
O resto, vamos descobrir...

^^
Erica Tabita

"Se tu quiseres saber quem eu sou, vem ver com os próprios olhos. Vem ver minha vida como ela é..."